Introdução

Uma restauração auxilia a consertar dentes danificados por cárie para devolver para eles sua função e forma. O dentista considerará uma série de fatores ao escolher qual tipo de material de restauração é mais apropriado para você. Esses fatores incluem a dimensão dos danos que devem res restaurados, a possibilidade de alergias a certos materiais dentários, os dentes e o custo.

Há vários tipos de restauração disponíveis:

Restaurações em resina composta – A resina composta é um material usado para restauração em que sua cor coincide com a dos dentes de cada paciente. Elas são utilizadas com maior frequência nos dentes frontais ou nas partes visíveis dos dentes. Restaurações de resina composta ligam-se diretamente à estrutura do dente, diminuindo o desgaste de estruturas sadias (como no caso de uma restauração de amálgama).

Restaurações de amálgama – restaurações de amálgama são feitas de uma mistura de metais, incluindo mercúrio e prata, por isso não ficam da mesma cor do dente. Esse tipo de restauração é utilizado com mais frequência nos dentes de trás. Essas restauraçoes são muito resistentes e normalmente duram pelo menos dez anos ou mais.

Restaurações de ouro – restaurações de ouro são feitas de liga de ouro, que é um material extremamente durável. Esse tipo de restauração pode durar mais que qualquer outro tipo, entretanto não ficam da mesma cor dos dentes e são caras, chegando a custar de seis a dez vezes mais que a amálgama.

Restaurações de cerâmica – Restaurações de cerâmica são feitas de porcelana e possuem a coloração igual ao dos dentes, por isso elas têm aspecto natural. Restaurações de cerâmica são mais friáveis que resinas compostas, podendo se fraturar com mais facilidade, mas também são mais resistentes a manchas.

Ionômero de vidro – Restaurações de ionômero de vidro são feitas de ácido poliacrílico e fluoroaluminosilicato, um componente do vidro. Esse tipo de restauração é muito resistente e na maioria das vezes utilizado em pessoas com alto risco de cárie.

Compreensão

Para evitar a dor durante um procedimento de restauração, o dentista poderá optar pela administração de um anestésico local como a lidocaína. Em seguida, o dentista removerá a cárie do dente utilizando uma broca ou laser.

Uma vez que toda a cárie for removida, o dentista poderá escolher qual o material a ser usado na restauração. Cada tipo de restauração requer diferentes procedimentos de desgaste do dente para garantir sua fixação e que o material não caia. O dentista poderá aplicar uma base dentro do dente para proteger sua polpa (onde ficam os nervos).

Alguns tipos de restaurações endurecem (polimerizam) por meio de uma luz especial ultra-violeta. Caso o dentista opte por usar esse tipo de restauração, camadas do material serão aplicadas no dente, intercaladas pelo uso de um aparelho que irradiará uma luz brilhante sobre a resina. Isso endurece e fortalece o material.

Finalmente, após a restauração ser aplicada, o dentista utilizará instrumentos para finalizar e polir a superfície do dente.

Planejamento

Após o procedimento de restauração e passado o efeito da anestesia, há uma série de efeitos colaterais que podem ocorrer. O dente pode ficar sensível à pressão, ao ar ou a líquidos frios ou a alimentos doces. Algumas pessoas sentem dormência, formigamentos e algumas pequenas dores. Esses efeitos colaterais passam normalmente dentro de poucas horas após o procedimento.

A sensibilidade deve diminuir dentro de uma ou duas semanas. Até então, procure evitar qualquer coisa que a estimule. Se seu dente estiver extremamente sensível ou se sua sensibilidade não diminuir dentro de duas semanas, entre em contato com seu dentista para uma consulta.

A causa mais comum de dor logo após a restauração é causada se ela estiver alta, já que não permite uma oclusão adequada. O dentista pode ajustar a restauração verificando a oclusão (mordida) dos seus dentes e removendo o excesso de material numa quantidade suficiente para a oclusão ficar correta.

Outro tipo de desconforto menos comum é um choque quando seus dentes se tocam. Isso é chamado choque galvânico, que ocorre quando dois metais (um no dente recém obturado e outro no dente oclusivo) se tocam, o que produz uma corrente elétrica em sua boca. Esse fenômeno poderia ocorrer, por exemplo, se você possuísse uma nova restauração de amálgama no dente inferior e uma coroa de ouro no dente logo acima.

Previna-se da cárie agora para evitar restaurações no futuro!

Cárie não é brincadeira e ninguém gosta de restaurações. Use um creme dental com flúor para evitar consultas extras ao dentista.