Mulher se olhando no espelho
Badge field

Afta no lábio e herpes labial: quais as diferenças?

Published date field

Apesar de comum, a afta no lábio pode causar desconforto e preocupação. Muitas vezes confundida com herpes labial, esse problema pode se prolongar se você não souber como tratar.

E são condições bastante comuns. Porém, é um grande erro pensar que afta na boca pode ser herpes. Afinal, as causas, sintomas e tratamentos para cada caso são diferentes.

Descubra as diferenças e os cuidados específicos para cada situação.

 

Principais diferenças entre afta no lábio e herpes

A afta no lábio geralmente aparece no interior da boca, como na língua, nas gengivas ou bochechas. Alterações como inchaços, manchas ou machucados pode indicar o surgimento de aftas e lesões bucais.

 

Outra importante diferença entre afta e herpes é que a primeira normalmente acontece na parte interna da boca, e a segunda, na parte externa.

 

Entretanto, há outros indicativos que ajudam a reconhecer cada uma das condições. Preste atenção aos sinais do seu corpo, afinal, a saúde oral é extremamente importante.

 

1. Aparência

A primeira maneira de diferenciar a afta do herpes no lábio é pela aparência. As aftas — também chamadas de úlceras aftosas — ocorrem dentro da boca.

Elas se desenvolvem em tecidos moles, como nas bochechas, na gengiva, embaixo ou em cima da língua. A afta labial aparece em pequenos círculos brancos ou amarelos rodeados por uma borda vermelha.

O herpes labial, por sua vez, costuma surgir nos lábios ou ao redor deles. Geralmente se parece com como bolha nos lábios, que após alguns dias estoura, drena o líquido e forma uma crosta.

 

2. Causas

Afta externa e herpes no lábio têm causas subjacentes diferentes. Na maioria das vezes, elas ocorrem como resultado de distúrbios imunológicos, traumatismos na boca, bactérias ou vírus.

 

O herpes labial tem origem direta do vírus do herpes simplex (HSV-1). Inclusive, uma das suas principais características é que pode permanecer latente até ser ativado.

 

Quando isso ocorre, o indivíduo pode apresentar formigamento ou sensação de ardência na boca e o desenvolvimento de uma lesão. Vários fatores podem desencadear a recorrência do herpes labial:

 

  • estresse;

  • outras infecções virais;

  • fadiga;

  • exposição ao sol ou ao vento;

  • alterações hormonais;

  • febre.

     

Inclusive, o herpes labial é um dos tipos mais comuns de feridas que indicam DST na boca. Esse tipo de doença, inclusive, pode ser contraído de diversas formas — e não apenas por meio de relações sexuais.

3. Sintomas

O principal sintoma para afta nos lábios é o surgimento de pequenas úlceras no interior da boca. Não são contagiosas e costumam ser dolorosas, especialmente quando em contato com alimentos salgados ou ácidos.

Embora a maioria seja inofensiva e desapareça por conta própria, há situações em que o ideal é procurar um médico, como:

 

  • em casos de aftas frequentes, que indicam algum outro problema;

  • afta ardendo ou dor intensa ao comer, ou beber;

  • dor que não passa com uso de analgésicos comuns;

  • aftas que duram mais de três semanas.

     

Consultar um médico ou dentista nessas situações é fundamental para diagnosticar a causa das aftas.

Já o herpes labial tem como principal sintoma o surgimento de pequenas bolhas que podem causar sensação de queimação, coceira ou dor. É contagioso, principalmente através do contato direto com as feridas.

Geralmente os sintomas seguem uma progressão característica, como:

 

  • vermelhidão nos lábios ou na região ao redor dos lábios;

  • sensação de formigamento, coceira ou ardência na boca;

  • feridas abertas e rachaduras nos lábios;

  • dor mexer os lábios ou movimentar a boca.

     

É importante evitar tocar as feridas e praticar boa higiene para prevenir a propagação do vírus. Embora o herpes labial seja uma condição crônica, com os cuidados certos, é possível gerenciar os sintomas e reduzir a frequência dos surtos.

 

4. Tratamentos

Tanto as aftas como o herpes labial geralmente se curam espontaneamente. No caso das aftas menores, normalmente levam uma ou duas semanas para sarar. Já o herpes labial pode levar um pouco mais de tempo, entre duas a quatro semanas.

 

Se os sintomas durarem mais tempo do que o esperado, você pode discutir as opções de tratamento com o médico ou o dentista. Pode ser incluído o uso de enxaguantes bucais, pomadas tópicas ou medicamentos orais.

 

 

Entretanto, mesmo desaparecendo espontaneamente, o herpes labial geralmente não deixa cicatrizes; porém, as aftas maiores podem deixar.

 

Como tratar a afta e o herpes labial?

Uma das principais recomendações no caso de herpes labial é o uso de medicamentos antivirais tópicos ou orais. Se você estiver sentindo desconforto, o médico ou dentista também pode prescrever um medicamento para aliviar a dor.

 

Também é importante o uso de protetor solar durante um surto. Isso porque a exposição ao sol pode afetar a cicatrização da lesão.

 

Ao contrário das aftas, o herpes labial é contagioso. Portanto, para evitar que o vírus se espalhe, você não deve compartilhar itens ou qualquer outra coisa que entre em contato com a boca.

Já as aftas, por não serem causadas por um vírus, não respondem aos medicamentos antivirais. O tratamento foca no alívio dos sintomas e na aceleração da cicatrização.

 

Medicação ou produtos com propriedades analgésicas podem ser usados para aliviar a dor e a irritação de afta ou herpes. Manter uma boa higiene bucal também é fundamental para evitar o surgimento de afta nos lábios.

 

Use um creme dental com defesa ativa contra as bactérias e mau hálito. Com Colgate Total 12, você protege sua boca do surgimento de novas aftas e outros problemas que interferem na sua saúde bucal. Experimente!

 

Dúvidas frequentes sobre afta no lábio

Como prevenir afta e herpes labial?

Evite alimentos que possam causar irritação na boca. Também é importante gerenciar o estresse e deficiências nutricionais, já que esse é um fator desencadeante. Não compartilhe itens pessoais.

O herpes labial pode ser curado permanentemente?

Ainda não há cura para a doença. O vírus responsável pela condição permanece no corpo pela vida toda e pode se manifestar periodicamente. Contudo, é possível gerenciar os surtos e reduzir sua frequência e gravidade com tratamento adequado.

Preciso ter cuidado com a contaminação de afta no lábio?

Embora as aftas não sejam contagiosas, é importante evitar sua propagação. Não toque no local com as mãos sujas, mantenha a higiene bucal e evite alimentos que possam causar irritações. Isso ajuda na cicatrização e evita complicações.

 

Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.