Estudos De Caso Comparam O Efeito De Refrigerantes No Esmalte Dental Com A Erosão Provocada Por Drogas

BLD102415

O consumo exagerado de bebidas gaseificadas ácidas, especialmente os refrigerantes, pode provocar erosão do esmalte dental de maneira similar ao abuso de drogas ilícitas, como a metanfetamina, postula o estudo de caso “Erosão Dental Devida a Abuso de Drogas Ilícitas e Bebidas Gaseificadas Ácidas”, publicado na edição de março/abril do General Dentistry. A Academy of General Dentistry publica esse periódico.

O estudo menciona que a erosão causada por refrigerante ocorre quando o ácido desgasta o esmalte dental, que é a camada vítrea de proteção que fica do lado externo do dente.

Dr. Mohamed A. Bassiouny, um dentista que foi o autor principal do estudo, comparou o dano na boca de três indivíduos. Um era usuário de metanfetamina, outro era usuário de cocaína e o terceiro consumia refrigerantes em excesso. Todos os participantes relataram má higiene bucal e visitas irregulares ao dentista. Os pesquisadores observaram que os participantes tinham o mesmo tipo e severidade de dano provocado por erosão.

“Todos os indivíduos apresentaram erosão dental severa causada pelos altos níveis de acidez presentes na ‘droga’ consumida – metanfetamina, crack ou refrigerante”, diz Dr. Mohamed. “Sabe-se bem que o ácido cítrico presente no refrigerante normal ou diet tem alto potencial de causar erosão dental”.

O indivíduo que consumia refrigerantes em excesso relatou tomar dois litros de refrigerante diet por dia por cinco anos, de acordo com o estudo de caso, e não buscou tratamento dental por duas décadas.

“As incríveis semelhanças encontradas neste estudo devem ser um alerta para consumidores que pensam que os refrigerantes – mesmo sendo diet – não são prejudiciais à sua saúde bucal”, diz dr. Bassiouny.

© 2018 Associação Dental Americana. Todos os direitos reservados. Probida qualquer reprodução ou redistribuição sem permissão prévia por escrito da Associação Dental Americana.

ARTIGOS RELACIONADOS 

Por que o tabaco é uma AMEAÇA À SAÚDE ORAL?

A maior ameaça do trabalho a saúde pode ser sua associação ao câncer bucal. A American Cancer Society relata que:

  • Aproximadamente 90 por cento das pessoas com câncer bucal e na garganta utilizaram tabaco. O risco de desenvolvimento de câncer aumenta conforme as pessoas fumam ou mascam com maior frequência ou por maior tempo.

  • Fumantes possuem seis vezes mais probabilidade do que não fumantes de desenvolverem cânceres.

  • Aproximadamente 37 por cento dos pacientes que continuam a fumar após tratamento de câncer desenvolverão outros cânceres na boca, garganta ou laringe. Somente 6 por cento das pessoas que desistem de fumar irão desenvolver cânceres secundários.

  • Fumantes de tabaco foram associados a cânceres nas bochechas, gengiva e superfície interior dos lábios. O tabaco sem fumaça aumenta o risco de câncer cerca de 50 vezes.