Por que o ducto de Wharton é importante?

dentista examinando os dentes de uma menina

O ducto de Wharton, também conhecido como ducto da glândula submandibular, é o principal canal de transporte sob a língua. Cada um dos ductos de Wharton sai das glândulas submandibulares e vai até duas pequenas aberturas embaixo da língua, pelas quais a saliva chega até a boca. Os ductos de Wharton são pequenos, mas sua influência na saúde bucal é grande.

Onde se localizam essas estruturas?

As glândulas submandibulares ficam embaixo da língua, nos lados direito e esquerdo do assoalho da boca (na Encyclopaedia Britannica há um diagrama anatômico útil). Essas glândulas produzem aproximadamente dois terços da saliva de que precisamos todos os dias para falar e mastigar.

O ducto de Wharton é um tubo fino, com cerca de 5 cm de comprimento, de onde parte o fluxo de saliva (como a água nos canos de uma casa) em cada glândula submandibular nos lados direito e esquerdo da boca, dirigindo-se para a glândula sublingual até chegar às duas pequenas aberturas embaixo da língua denominadas carúnculas sublinguais.

Por que é chamado de ducto de Wharton?

Assim como outras partes do corpo, essas estruturas foram nomeadas em homenagem ao cientista que as identificou. De acordo com o livro A Biographical History of Endocrinology, Thomas Wharton (1614-1673) foi um cientista inglês que estudou várias glândulas do corpo e identificou pela primeira vez essas estruturas em sua documentação de anatomia da cabeça e do pescoço. Wharton também localizou e nomeou a glândula tireoide na região inferior do pescoço.

Por que o ducto de Wharton é importante?

A saliva é o lubrificante natural do organismo. A transferência de saliva das glândulas salivares para a boca é fundamental para as funções de mastigação, fala, deglutição e eliminação de detritos dos dentes. Às vezes, um ducto pode ser obstruído por calcificações, causando cálculos nas glândulas salivares. No caso de obstrução de um ducto ou glândula salivar, a saliva não consegue passar através do ducto e se acumula dentro da glândula, podendo causar dor e pressão.

Se a obstrução não for tratada, a ausência de fluxo salivar pode resultar em xerostomia (boca seca). A xerostomia é um problema sério que pode levar à halitose (mau hálito), além de um maior potencial de doenças bucais por acúmulo de ácido e bactérias, como doença periodontal e cárie. Se você notar algum sinal ou sintoma de obstrução dos ductos salivares, consulte o dentista.

Entender a anatomia da boca aumenta o conhecimento sobre a saúde e leva a uma melhor compreensão geral da saúde de todo o corpo. A boa saúde bucal contribui para a boa saúde geral e isso começa com a atitude de levar o tempo necessário para entender a estrutura e a função do nosso corpo.

Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

ARTIGOS RELACIONADOS 

Quais são as diferentes partes de um dente?

Cada dente possui diversas partes distintas; a seguir, consta uma VISÃO GERAL de cada parte:

  • Esmalte – É a parte externa e mais dura do dente, que possui o tecido mais mineralizado do corpo. Pode ser danificado pela cárie se os dentes não forem cuidados adequadamente.

  • Dentina – É a camada do dente dentro do esmalte. Se a cárie conseguir passar pelo esmalte, em seguida, ataca a dentina – onde milhões de canais conduzem diretamente a polpa dental.

  • Polpa – É o tecido macio encontrado no centro de todos os dentes, onde o tecido nerval e os vasos sanguíneos estão localizados. Se a cárie dentária atingir a polpa, isso geralmente causa dor e pode necessitar de um procedimento de canal na raiz.