Tratamento para disfagia para facilitar a deglutição

Mulher grávida doente, tomando um comprimido sentada em um sofá

De tempos em tempos, é comum que as pessoas sintam um nó na garganta que pode dificultar a deglutição. Quando a dificuldade em engolir é um problema contínuo, pode prejudicar outras áreas da vida. A disfagia, ou distúrbio da deglutição, pode se desenvolver por várias razões. Segundo o National Institute on Deafness and Other Communications Disorders, é mais comum em pessoas idosas e geralmente ocorre quando os músculos da garganta estão fracos. Existem várias opções de tratamento para disfagia, dependendo da causa e da gravidade do distúrbio.

Causas da disfagia

Alguns problemas de saúde que podem causar disfagia são derrame, doença do refluxo gastroesofágico (DRGE), tumores e diabetes. Em alguns casos, problemas dentários, como próteses dentárias mal adaptadas ou dentes cariados, podem causar dificuldades de deglutição. Também é possível que uma pessoa desenvolva um distúrbio de deglutição como resultado do tratamento para outra doença, como a quimioterapia.

Fases da deglutição

O tratamento ideal para a disfagia depende, em parte, da causa do problema de deglutição e da fase em que ele ocorre. Como aponta a Associação Americana de Fonoaudiologia (ASHA), há três estágios no processo de deglutição durante os quais a dificuldade pode ocorrer.

  • A primeira é a fase oral, ou o ato efetivo de mastigar e sugar os alimentos.
  • A segunda é a fase faríngea, ou o ato efetivo de começar a empurrar os alimentos pela garganta, fechando a traqueia para impedir que os alimentos entrem nas vias respiratórias.
  • A última é a fase esofágica, durante a qual os alimentos são empurrados do esôfago para o estômago.

Opções de tratamento para a disfagia

As opções de tratamento para a disfagia geralmente adotam uma estratégia compensatória ou reabilitadora, observa a ASHA. As estratégias de tratamento compensatórias não resolvem o problema de deglutição, mas podem ensinar o paciente a lidar com ele. Os tratamentos podem incluir virar a cabeça de determinada maneira para ajudar a comida a transitar pelo esôfago com mais facilidade ou alterar a consistência dos alimentos ingeridos para que sejam engolidos mais facilmente.

As estratégias reabilitadoras de tratamento da disfagia visam melhorar a capacidade de deglutição, levando a uma melhoria duradoura. Os tratamentos podem incluir exercícios que aumentam a força muscular do rosto e do esôfago ou o aprendizado uma técnica de deglutição que garanta o bloqueio das vias respiratórias, impedindo que os alimentos transitem pela traqueia para os pulmões. Uma técnica, conhecida como deglutição supraglótica, envolve prender a respiração antes de engolir, para fechar as vias respiratórias, explica o Centro Médico Wexner da Universidade Estadual de Ohio.

Tratamentos médicos e cirúrgicos

Para alguns pacientes, a terapia de reabilitação pode ser suficiente para tratar os problemas de deglutição. Porém, nos casos em que o problema está associado a um problema médico existente, como a DRGE, ou a um problema relacionado à forma e ao tamanho do esôfago, pode ser necessário tratamento médico ou cirúrgico. O tratamento médico pode incluir o uso de antiácidos ou outros medicamentos para controlar os sintomas da DRGE. Se a disfagia estiver relacionada a problemas de controle salivar ou espessamento da saliva, podem ser prescritos medicamentos para tratar esses problemas.

Se o problema de deglutição estiver relacionado a um esôfago estreito ou tensão no músculo do esôfago, pode ser necessário um procedimento cirúrgico chamado miotomia. Durante a cirurgia, os músculos do esfíncter esofágico inferior são cortados, permitindo que os alimentos transitem mais facilmente do esôfago para o estômago, explica o Memorial Hermann.

Tratamento odontológico e disfagia

Às vezes, os distúrbios de deglutição podem estar relacionados a problemas dentários. A fase oral da deglutição depende da quantidade e da saúde dos dentes de cada pessoa, conclui uma revisão publicada no Current Physical Medicine and Rehabilitation Reports. Embora cuidar bem dos dentes não alivie diretamente a disfagia, os cuidados bucais adequados são fundamentais na prevenção e alívio dos problemas de deglutição. Escovar os dentes pelo menos duas vezes ao dia com um creme dental fluoretado ajuda a prevenir a cárie e a formação de placa bacteriana e tártaro.

Em geral, o tratamento para a disfagia envolve uma equipe de profissionais de saúde: dentista, fonoaudiólogo, clínico geral e cirurgião especializado em procedimentos de ouvido, nariz e garganta. Trabalhando juntos, a equipe médica pode ajudar a determinar o melhor plano de ação para ajudar a aliviar os problemas de deglutição.

Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

ARTIGOS RELACIONADOS

Doenças comuns durante a FASE ADULTA

Conforme ficamos mais velho, os cuidados dentais para os adultos são mais cruciais. A seguir, encontram-se algumas doenças para se estar atento:

Gengivite – Se suas rotinas caseiras de cuidados de escovação e utilização do fio dental tiveram um deslize e você não fez limpezas dentais regulares, a placa bacteriana e o tártaro podem se acumular em seus dentes. A placa e o tártaro, se não forem tratados, podem, eventualmente, causar danos irreparáveis à mandíbula e a estruturas de suporte, e podem causar perda dos dentes.

Câncer bucal – De acordo com o National Institute of Dental and Craniofacial Research, homens na idade de 40 anos possuem o maior risco de câncer bucal. Aproximadamente 43.000 pessoas serão diagnosticadas com câncer na boca, língua, área da garganta, e a ACS estima que cerca de 7.000 pessoas morrerão devido a esses cânceres. A utilização de produtos de tabaco e álcool aumenta o risco de câncer bucal. A maioria dos cânceres bucais é diagnosticada pelo dentista durante o exame geral de rotina 1

Quebra de preenchimentos dentais – Os preenchimentos possuem expectativa de oito a dez anos. Entretanto, eles podem durar 20 anos ou mais. Quando o preenchimento em sua boca começa a quebrar, alimentos e bactérias podem entrar embaixo e podem causar cárie profunda no dente.

Mantenha seus dentes limpos com uma rotina de saúde bucal.

Estabelecer uma rotina de saúde bucal é importante para uma boca saudável. Experimente um de nossos produtos de saúde bucal.