Síndrome da boca ardente: sintomas e tratamento

mulher mostrando língua queimada num café

Se você sente como se sua língua estivesse queimando sem nenhuma causa, você não está sozinho. De acordo com a revista World Journal of Gastroenterology, mais de um milhão de americanos sofrem de "síndrome da boca ardente", um distúrbio caracterizado por essa sensação inusitada (mas desconfortável) na língua. O dentista pode identificar quais são seus sintomas e determinar a causa deles.

Sintomas

O principal sintoma da síndrome da boca ardente é a sensação de queimação na língua. Essa sensação também pode afetar outros tecidos moles da cavidade bucal, como as bochechas, a garganta ou a gengiva. Outros sintomas semelhantes não são tão comuns, mas são bem familiares: dormência na língua ou até mesmo gosto amargo na boca. A boca também pode parecer persistentemente seca.

Causas

Muitas doenças e condições clínicas estão associadas à síndrome da boca ardente. De fato, diabetes, doença do refluxo gastroesofágico e menopausa estão associados a essa condição. Distúrbios bucais, como a síndrome da boca seca, caracterizados por saliva insuficiente para eliminar certas bactérias da língua, também podem ser a origem do problema. No entanto, pode ser difícil identificar a causa da irritação. Por isso, enquanto sua língua estiver queimando, talvez você não saberá o motivo.

Complicações

A síndrome da boca ardente pode ter um efeito significativo em sua rotina diária. Segundo a Mayo Clinic, pessoas com síndrome da boca ardente tendem a ter problemas para dormir devido ao desconforto causado. Além disso, pode ser necessário alterar os hábitos alimentares para tentar aliviar o incômodo. Lembre-se de que a sensação de língua queimando pode deixá-lo deprimido ou ansioso, o que por sua vez, faz com que você perca o ânimo de se socializar com seus amigos. No futuro, essa atitude pode prejudicar seus relacionamentos.

Tão importante quanto isso, a síndrome da boca ardente pode dificultar a escovação e o uso do fio dental. Mesmo que você sinta um incômodo na língua e na gengiva, é importante fazer um esforço para escovar os dentes duas vezes ao dia e passar o fio dental uma vez ao dia. Se você não fizer isso, pode ter outros problemas, como cárie e doença periodontal.

Diagnóstico

Diagnosticar a síndrome da boca ardente não é fácil, porque não há um exame específico para isso, então os dentistas precisam diagnosticá-la por um processo de eliminação. Para descartar outras doenças que podem causar queimação na língua, podem ser solicitados exames de sangue, testes de alergia e biópsias. Uma vez descartadas outras causas da sensação de queimação, o dentista pode chegar a uma conclusão precisa com relação à síndrome da boca ardente.

Tratamento

Há muitas coisas que você pode fazer em casa para ajudar a aliviar a dor causada pela queimação na língua. Tomar bebidas geladas ou chupar pedaços de gelo certamente pode ajudar a diminuir a sensação de queimação. Mascar chiclete sem açúcar também pode ajudar a estimular o fluxo de saliva. O dentista pode recomendar evitar alimentos e bebidas que podem piorar a sensação, como alimentos condimentados ou bebidas altamente ácidas. Cigarro e álcool devem ser evitados, é claro, pois só podem agravar o problema.

Junto com o tratamento domiciliar, o dentista também pode indicar tratamentos para ajudar a aliviar os sintomas. Se ele acredita que a boca seca é responsável pela sensação, por exemplo, você pode ser orientado a beber mais água. O dentista também pode recomendar o uso de substitutos salivares (saliva artificial).

Sem dúvida, não deve ser fácil escovar os dentes devido ao desconforto, mas o produto certo pode ajudar nesse caso. Quando a gengiva é afetada por essa síndrome, o uso de uma escova dental com cerdas extramacias ajuda a não causar mais irritação.

Se você sente sua língua queimar, consulte o dentista imediatamente para fazer um exame. Você pode ter síndrome da boca ardente, um distúrbio que pode ser controlado facilmente.

Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

ARTIGOS RELACIONADOS