Dente Geminado: o que é, causas e o que fazer

dentista mostrando modelo de mandíbula a paciente

A geminação, também chamada de dente geminado, é uma anomalia dentária que descreve um dente de tamanho grande ou de formato anormal que parece ser composto por dois dentes. Se você já ouviu essa definição ou notou uma irregularidade no seu sorriso, pode estar curioso para saber mais sobre essa anomalia e como ela pode ser tratada.

Causas

O folículo dentário, também chamado de germe dentário, é um grupo de células que dão origem ao dente. Cada folículo ou germe normalmente resulta em um dente. A geminação ocorre quando um único folículo se divide e forma dois dentes. A Universidade Médica de Breslávia, na Polônia, explica que o dente resultante tem duas coroas, mas apenas uma raiz. Na arcada dentária (a disposição dos dentes na maxila e mandíbula), ele aparece como um dente.

Embora a geminação seja às vezes confundida com a fusão dentária, tratam-se de condições diferentes. No caso desta última, dois folículos adjacentes começam a se desenvolver separadamente e se juntam no estágio final do desenvolvimento do dente. Os dentes fundidos ocupam o mesmo espaço que dois dentes separados na boca.

A geminação e a fusão dentária são raras, de acordo com o livro Paediatric Dentistry. Estudos em populações caucasianas determinaram que a prevalência dessas anomalias está entre 0,5% e 1,6% na dentição primária (dentes de leite). Na dentição permanente (dentes permanentes), a prevalência é muito menor: entre 0,1% e 0,2%. O sexo não afeta a probabilidade de desenvolver essas anomalias, e alguns pesquisadores sugerem que elas podem ter relação com a genética.

Diagnóstico da geminação

Em geral, os dentistas iniciam o diagnóstico com uma inspeção visual. Para determinar se o dente é geminado ou fundido, o dentista pode precisar contar o número de dentes na boca. A revista Frontiers in Physiology relata que pessoas com dentes geminados têm a quantidade normal de dentes, já que o dente de tamanho grande é contado como um só, enquanto as pessoas com fusão dentária parecem ter menos dentes.

A radiografia também pode ajudar os dentistas a diagnosticar a geminação e a fusão, uma vez que esse exame revela a estrutura interna dos dentes. Dentes geminados geralmente revelam uma cavidade pulpar total ou parcialmente unida, enquanto os dentes fundidos têm cavidades pulpares completamente separadas.

O que fazer se você tiver um dente geminado

A geminação ocorre com mais frequência nos dentes incisivos, ou dentes da frente, relata a Universidade Médica de Breslávia. Isso significa que a anomalia pode ser visível no sorriso do paciente. Além disso, os dentes grandes podem amontoar na boca e fazer com que outros dentes fiquem tortos. Isso pode levar a problemas de oclusão que podem precisar de tratamento ortodôntico.

O tratamento para dentes geminados varia. Se o dente for pequeno, o dentista pode determinar que nenhuma intervenção seja necessária. Se o dente geminado for tão grande a ponto de causar problemas na boca, pode ser necessário extraí-lo.

Após a extração, os dentistas têm vários métodos para substituir o dente. Esses métodos incluem pontes e implantes dentários. As pontes dentárias são próteses fixadas no lugar pelos dentes adjacentes, enquanto os implantes dentários são próteses implantadas cirurgicamente no osso maxilar.

Dentes geminados não são comuns, mas podem ser tratados. Depois de examinar seus dentes e sua condição específica, o dentista pode determinar qual desses tratamentos, se for necessário, é adequado para você.

Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

ARTIGOS RELACIONADOS 

Quais são as diferentes partes de um dente?

Cada dente possui diversas partes distintas; a seguir, consta uma VISÃO GERAL de cada parte:

  • Esmalte – É a parte externa e mais dura do dente, que possui o tecido mais mineralizado do corpo. Pode ser danificado pela cárie se os dentes não forem cuidados adequadamente.

  • Dentina – É a camada do dente dentro do esmalte. Se a cárie conseguir passar pelo esmalte, em seguida, ataca a dentina – onde milhões de canais conduzem diretamente a polpa dental.

  • Polpa – É o tecido macio encontrado no centro de todos os dentes, onde o tecido nerval e os vasos sanguíneos estão localizados. Se a cárie dentária atingir a polpa, isso geralmente causa dor e pode necessitar de um procedimento de canal na raiz.