Candidíase oral

Mulher sorrindo e comendo com seu amigo

Candidíase oral: o que é?

O revestimento da boca pode acabar acumulando um fungo chamado Candida albicans, que é uma condição mais comumente chamada de candidíase oral. Essa condição causa lesões brancas, geralmente na língua ou no interior das bochechas. Se você raspar sua língua regularmente, essas lesões podem ser dolorosas e até sangrar um pouco. A candidíase oral, se não for tratada, também pode afetar outras áreas da boca, como a garganta, as amígdalas, a gengiva e o céu da boca.

Embora a candidíase oral seja uma condição que pode afetar qualquer parte da população, é mais comum em pessoas com o sistema imunológico comprometido (ou enfraquecido), que usam dentadura, que usam corticoides inalatórios ou bebês. A candidíase oral também pode ocorrer em pessoas que estão fazendo quimioterapia ou radioterapia, que têm uma condição documentada de boca seca persistente (xerostomia) ou são fumantes.

Causas da candidíase oral

A candidíase oral pode ocorrer na presença de alguns fatores. O sistema imunológico debilitado (por doenças ou medicamentos como a prednisona) ou o uso de antibióticos que podem alterar o equilíbrio natural de microrganismos no organismo podem ser algumas das causas.

Os mecanismos naturais de proteção podem falhar, fazendo com que o equilíbrio entre microrganismos “bons” e “ruins” mude drasticamente de uma forma ou de outra. Normalmente, o sistema imunológico trabalha para repelir vírus ou bactérias prejudiciais, mas um sistema imunológico enfraquecido torna isso mais difícil, podendo permitir o crescimento do fungo que causa a candidíase oral.

Candidíase vaginal, diabetes, a maioria dos tipos de câncer e HIV/AIDS são condições que enfraquecem o organismo, tornando-o mais suscetível à candidíase oral.

Candidíase oral em adultos com o sistema imunológico debilitado

A candidíase oral pode se espalhar dentro do corpo, afetando os pulmões, o fígado e o aparelho digestivo. Se a infecção se espalhar para o intestino, pode levar à desnutrição, deixando a pessoa mais fraca.

Dependendo da gravidade da infecção, o médico pode prescrever medicamentos antifúngicos, como comprimidos, pastilhas ou enxaguante bucal, que pode ser engolido. Você também pode receber anfotericina B, que é usada com frequência para infecção por HIV em estágio avançado e infecções que se tornaram resistentes aos antifúngicos mais comuns.

Como alguns medicamentos antifúngicos podem causar danos ao fígado, o médico provavelmente fará exames de sangue e monitorará sua função hepática (especialmente se a infecção se espalhar para o fígado). O mesmo ocorrerá caso o tratamento tenha que demorar mais do que o normal ou se você tiver um histórico de doença hepática.

Sintomas da candidíase oral em crianças e adultos

Os sintomas da candidíase oral podem não aparecer imediatamente em alguns casos. Por outro lado, talvez você desenvolva sinais e sintomas completamente de repente. Conheça alguns sinais sugestivos de candidíase oral:

  • Lesões brancas e pastosas que aparecem em qualquer lugar da boca
  • Dor durante movimentos regulares da boca
  • Sangramento se as lesões forem raspadas ou friccionadas
  • Para usuários de dentadura, rachaduras ou vermelhidão perto dos cantos da boca
  • Boca seca
  • Perda perceptível do paladar ao comer ou beber

Embora na maioria dos casos de candidíase oral as lesões apareçam na área mais visível da boca, elas podem se espalhar para o esôfago. Isso pode dificultar a deglutição ou causar a sensação de que a comida está parada na garganta. Esses sintomas ocorrem nos casos mais graves e, se você apresentar algum deles, consulte imediatamente o dentista ou o clínico geral para tratamento.

Enquanto espera para ser tratado, há algumas coisas que você pode fazer para aliviar qualquer dor que possa estar sentindo. Tente comer iogurte sem açúcar ou tomar cápsulas de Lactobacillus acidophilus. Embora não devam ser considerados tratamentos ou curas reais, ambos podem ajudar a restaurar os níveis normais da flora bacteriana do seu organismo. Se a infecção persistir, o médico provavelmente prescreverá um medicamento antifúngico ou antibiótico para ajudar.

Sintomas da candidíase oral em bebês e mães que estão amamentando

Os bebês podem ter problemas para se alimentar ou ficar mais agitados e irritados do que o habitual se estiverem com candidíase oral (sapinho na boca). Se tiverem candidíase oral, provavelmente terão lesões brancas. As mães devem prestar muita atenção porque o sapinho pode ser transmitido através da amamentação. E se a criança passar o sapinho para a mãe e depois se curar, sem perceber a mãe pode passar o sapinho novamente para a criança.

Se você está amamentando, procure esses sinais e sintomas:

  • Coceira, sensibilidade ou vermelhidão incomum nos mamilos
  • Pele brilhante ou com descamação ao redor da aréola
  • Dor muito incomum durante a amamentação ou entre as mamadas
  • Dores profundas e penetrantes no próprio seio

Se aparecerem lesões na sua boca ou na do seu filho, marque uma consulta com o médico ou dentista imediatamente. Em crianças maiores ou adolescentes, procure atendimento médico, porque o diabetes pode ser uma possível condição subjacente.

Como o tratamento nesse caso terá que ser direcionado a duas pessoas, os médicos podem usar vários métodos. Para começar, o médico pode prescrever dois medicamentos antifúngicos: um creme para os seios da mãe e outro medicamento para o bebê.

Se você é uma mãe que ainda está amamentando, use absorventes para os seios para ajudar a impedir que a infecção se espalhe para suas roupas. Fique longe dos absorventes para os seios com barreiras de plástico, pois eles podem fazer a infecção aumentar. Se os absorventes não forem descartáveis, lave-os (e também os sutiãs) em água quente com água sanitária para evitar a propagação da candidíase oral.

Se seu filho estiver usando mamadeiras e chupetas, além de estar mamando, lave diariamente tudo o que ele coloca na boca, usando uma solução de partes iguais de água e vinagre. Depois de limpo, deixe secar ao ar para ajudar a impedir o crescimento de fungos. Isso também deve ser feito com qualquer tipo de extrator de leite que você possa estar usando, especialmente as peças que se destacam facilmente para limpeza.

 

Conversando com o médico ou dentista

Até agora você já determinou se tem um problema bucal que precisa ser examinado por um profissional médico. Faça uma lista de todos os sintomas que você apresentou, incluindo qualquer coisa que pareça não estar relacionada; o médico saberá se está ou não. Isso inclui anotar eventos não clínicos, como sentir mais estresse do que o normal, o que está causando esse estresse ou se você esteve em contato com pessoas com o sistema imunológico debilitado.

Você terá que fazer uma lista de todos os medicamentos que está tomando para informar ao médico. Além disso, anote todas as perguntas que quiser fazer ao médico ou dentista. Isso pode ajudá-lo a obter todas as respostas que procura e a garantir que você saia da consulta mais satisfeito, mesmo se estiver com candidíase oral.

O médico pode fazer perguntas para diminuir as hipóteses sobre sua possível condição, com base nos sinais que ele observa e nos sintomas que você descreve. Seja o mais sincero e honesto possível com suas respostas, pois isso ajudará a concluir a consulta mais rápido e com menos complicações.

Se o médico não chegar ao diagnóstico apenas com o exame da sua boca, certamente coletará uma pequena amostra e a examinará por conta própria ou a enviará para exames adicionais.

Se a infecção tiver se espalhado além da área mais adjacente à boca e descido para o esôfago, o médico provavelmente fará alguns exames. Primeiro, ele coletará uma amostra para cultura por esfregaço da parte de trás da garganta para determinar quais bactérias ou fungos (se houver) estão causando seus sintomas. Em seguida, você poderá fazer um exame endoscópico, em que o médico usa um endoscópio (ou tubo flexível e iluminado) para explorar seu esôfago, estômago e parte superior do intestino delgado para ver até onde a infecção se espalhou.

Estilo de vida e remédios caseiros naturais

Se você está atualmente no meio de um surto de candidíase oral, ter uma higiene bucal adequada, como escovar os dentes duas vezes ao dia e usar fio dental pelo menos uma vez ao dia, pode ajudar a eliminar qualquer resíduo de alimento ou bebida dos dentes ou da gengiva. Em vez de usar um enxaguante bucal padrão, dissolva meia colher de chá de sal em um copo de água morna. Lave a boca com essa mistura, bochechando por dois minutos, e depois cuspa.

A candidíase oral é contagiosa e pode se espalhar profundamente pelo organismo, causando sérios danos e impedindo a nutrição adequada (se ela se espalhar o suficiente) devido a condições incômodas internamente. Se você acha que está com um ou mais desses sintomas, entre em contato com o dentista imediatamente para obter uma segunda opinião. Quando detectada cedo o suficiente, o dentista pode ajudar a aliviar seus sintomas e a interromper a infecção.

Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

ARTIGOS RELACIONADOS