Lesões na boca: sintomas, causas e tratamento

Casal exercitando juntos no parque empurrando seu bebê em um carrinho de bebé

Sentir dor nunca é agradável, principalmente quando a origem da dor é na boca. No entanto, essa é a maneira que o corpo usa para nos alertar de que algo está errado. Além da dor crônica ou latejante, é possível observar sintomas associados, como uma lesão na boca.

De acordo com a Associação Americana de Odontologia (ADA), lesões na boca, em geral, podem ser causadas por infecções virais, fúngicas e bacterianas, próteses mal ajustadas, bordas dos dentes afiadas e um fio do aparelho ortodôntico solto. Este artigo aborda algumas das situações comuns que resultam em lesões na boca, além dos sintomas e opções de tratamento.

Tipos de lesão na boca

Aftas

As aftas podem surgir em vários pontos da boca, inclusive na língua, no interior das bochechas, na base da gengiva e nos lábios. Embora os médicos não saibam exatamente qual a causa das aftas, o consenso é que elas sejam decorrentes de um problema no sistema imunológico. Acredita-se que alimentos ácidos, lesões na boca, alterações hormonais que ocorrem durante a menstruação e estresse emocional desencadeiem as aftas.

Um formigamento ou queimação na parte interna das bochechas significa que uma afta pode estar se formando. As aftas são lesões rasas e arredondadas. Elas duram aproximadamente duas semanas, antes de desaparecem espontaneamente, e podem causar incômodo durante três a dez dias. Não há como impedir seu surgimento ou fazê-las desaparecer, mas é possível diminuir a dor fazendo bochechos com água morna e comendo alimentos leves.

Herpes labial

Conhecido popularmente como boqueira, o herpes labial é causado pelo vírus do herpes simples tipo 1 (HSV-1). O vírus é transmitido pela saliva ou contato com a pele. As lesões aparecem como pequenas bolhas nos lábios agrupadas como um buquê. Quando uma pessoa é infectada, o vírus normalmente permanece latente a princípio. As lesões podem surgir por várias razões, como resfriado ou febre, estresse emocional, exposição excessiva ao sol ou até mesmo um tratamento dentário.

Uma vez infectado, os sintomas incluem náusea, vômito, dor de cabeça, dor de garganta e febre. Lesões dolorosas podem eclodir na boca. Esses sintomas geralmente ocorrem cerca de uma semana após a exposição.

As opções de tratamento incluem os medicamentos valaciclovir, aciclovir e fanciclovir. A pomada deve ser aplicada no primeiro sinal de lesão. Depois que as bolhas surgem, o medicamento não ajuda muito. Para evitar a propagação do vírus, não beije ninguém nem compartilhe utensílios ou copos quando as bolhas estiverem presentes. Infelizmente, não há cura para o herpes labial.

Candidíase oral

A candidíase ocorre quando o fungo Candida albicans se acumula no revestimento da boca. O resultado são lesões brancas que geralmente se formam na língua ou no interior das bochechas. As lesões também pode se espalhar na garganta, gengiva, céu da boca e até nas amígdalas. As lesões dolorosas podem sangrar ao contato.

A candidíase oral geralmente ocorre em pessoas com o sistema imunológico comprometido, usuários de próteses dentárias ou de corticoides inalatórios e bebês. A lesões na boca podem ter o aspecto de queijo branco. Além de dor e sangramento, outros sintomas incluem perda de paladar e sensação de algodão dentro da boca. O tratamento pode variar de medicamentos antifúngicos para bebês, mudanças na dieta, melhora da higiene bucal e bochechos com água e sal.

Doença mão-pé-boca (HFMD)

O vírus causador dessa enfermidade é comum em crianças pequenas, observa a Clínica Mayo. Os sintomas clássicos incluem lesões vermelhas dolorosas no interior das bochechas e na língua, manchas vermelhas nas mãos e nos pés, febre, dor de garganta e mal-estar geral. Os sintomas surgem três a seis dias após a infecção pelo vírus.

Não há tratamento. A infecção pelo vírus geralmente dura de sete a dez dias. Um anestésico oral tópico pode ajudar a aliviar a dor provocada pelas lesões na boca, enquanto analgésicos podem aliviar o mal-estar.

Manter a boca saudável é um bom começo quando se trata de prevenir infecções bucais. Escove os dentes e use fio dental pelo menos duas vezes por dia. O uso do creme dental ajuda a prevenir a placa bacteriana, gengivite, acúmulo de tártaro, cárie e mau hálito. E lembre-se de agendar avaliações regulares com seu dentista.

Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

ARTIGOS RELACIONADOS