O que é um odontoma e como ele é tratado?

Radiografia panorâmica mostra caninos e segundos pré-molares embutidos no maxilar direito com odontoma.

Embora seja improvável que você seja diagnosticado com um odontoma, esse é um dos tipos mais comuns de tumores de boca benignos. Alguns profissionais consideram esse tumor um tipo de hamartoma (malformação de desenvolvimento) dentário, que é um crescimento anormal do tecido que imita o tecido adjacente. Os odontomas são compostos de tecidos dentários, tais como esmalte, dentina, cemento e polpa, e costumam se formar nos maxilares durante o desenvolvimento dos dentes, de acordo com uma revisão publicada na revista West Indian Medical Journal.

Tipos de odontomas

Em geral, os odontomas são pequenos, embora às vezes possam se tornar maiores, e não causam sintomas, como descreve a revisão do West Indian Medical Journal. Existem dois tipos principais de odontomas, que podem ser diagnosticados pelo dentista por meio de uma radiografia:

  • Complexo

    Um odontoma complexo é uma massa não organizada de tecido dentário. Um estudo publicado na revista Nigerian Journal of Clinical Practice informa que esse tipo ocorre com maior frequência nos segundos e terceiros molares inferiores.
  • Composto

    Um odontoma composto se assemelha a um grupo de dentes pequenos. Esse tipo de odontoma ocorre com maior frequência na maxila e costuma afetar os dentes da frente, como informa a revisão do West Indian Medical Journal.

Diagnóstico e sintomas

Esses tumores podem se desenvolver em pacientes de qualquer idade, mas são mais comuns em adolescentes e jovens adultos na faixa dos vinte anos, de acordo com a revisão do West Indian Medical Journal. Ocorrem com um pouco mais de frequência nas mulheres.

Como os odontomas costumam ser assintomáticos, são mais comumente identificados por meio de radiografias de rotina realizadas pelo dentista, explica o estudo da revista Nigerian Journal of Clinical Practice. Ambos os tipos aparecem na radiografia como uma massa circundada por um halo transparente. A forma dessa imagem do odontoma ajudará o dentista a classificá-lo como complexo ou composto.

Alguns pacientes podem sentir dor, inchaço ou deslocamento do dente por causa do tumor, observa a revisão da revista West Indian Medical Journal. Aproximadamente 80% dos casos estão associados a dentes não erupcionados, portanto, muitas vezes um paciente pode ter dentes que ainda não irromperam a gengiva e não afloraram na boca. Os odontomas são benignos, ou seja, não cancerosos, e geralmente não voltam a crescer após serem removidos.

Remoção

De acordo com o estudo publicado na Nigerian Journal of Clinical Practice, os dentistas normalmente optam por remover os odontomas se eles causarem sintomas ou prejudicarem a erupção normal dos dentes. A remoção normalmente é feita por um cirurgião bucomaxilofacial, com o encaminhamento do dentista geral do paciente. Como os odontomas estão frequentemente relacionados a dentes não erupcionados, a equipe odontológica também pode optar por extrair o dente ao remover o odontoma caso ele não esteja se desenvolvendo adequadamente, de acordo com um relatório publicado na revista Journal of Dental Implants. Se necessário, o paciente pode discutir as opções de reposição do dente com a equipe de odontologia. Também pode ser necessário o tratamento ortodôntico para ajudar a manter o alinhamento adequado dos dentes após a remoção de um odontoma.

Em geral, o processo de cicatrização ocorre sem complicações e certamente o paciente retornará ao consultório para consultas de acompanhamento com o dentista, conforme observado no relatório da revista Journal of Dental Implants. Se você for diagnosticado com um odontoma, saiba que os profissionais de odontologia podem ajudá-lo a obter o tratamento de que você precisa. Junto com uma boa rotina de cuidados bucais, as radiografias regulares ajudam o dentista a diagnosticar qualquer problema de saúde dentária precocemente.

Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

ARTIGOS RELACIONADOS

Por que o tabaco é uma AMEAÇA À SAÚDE ORAL?

A maior ameaça do trabalho a saúde pode ser sua associação ao câncer bucal. A American Cancer Society relata que:

  • Aproximadamente 90 por cento das pessoas com câncer bucal e na garganta utilizaram tabaco. O risco de desenvolvimento de câncer aumenta conforme as pessoas fumam ou mascam com maior frequência ou por maior tempo.

  • Fumantes possuem seis vezes mais probabilidade do que não fumantes de desenvolverem cânceres.

  • Aproximadamente 37 por cento dos pacientes que continuam a fumar após tratamento de câncer desenvolverão outros cânceres na boca, garganta ou laringe. Somente 6 por cento das pessoas que desistem de fumar irão desenvolver cânceres secundários.

  • Fumantes de tabaco foram associados a cânceres nas bochechas, gengiva e superfície interior dos lábios. O tabaco sem fumaça aumenta o risco de câncer cerca de 50 vezes.