O Que É Micrognatia?

Banho do bebê recém-nascido com esponja especial para cuidar do bebê.

Micrognatia é uma palavra longa para uma condição que significa que a mandíbula é menor do que o normal. É bastante comum em bebês e, em muitas situações, pode ser corrigida. Essa condição não é evitável e pode ocorrer em uma criança que já tem outra síndrome. Compreender a causa de uma mandíbula de tamanho menor do que o normal e como essa condição afeta uma pessoa pode ajudá-lo a adaptar-se a quaisquer necessidades especiais e cuidados adicionais que ela possa precisar.

Causas

A micrognatia é relativamente comum em bebês. De acordo com a The Fetal Medicine Foundation, ocorre um caso a cada 1.500 nascimentos. Embora possa parecer preocupante, a micrognatia pode ser identificada pela ultrassonografia durante a gravidez, permitindo que a criança nasça em uma instituição de saúde que atenda às necessidades da família.

Segundo o Hospital Infantil da Filadélfia, a micrognatia pode ser hereditária ou causada por uma mutação genética. Ocorre como um defeito de nascença em muitas síndromes, incluindo a síndrome de Pierre Robin, síndrome de Stickler, síndrome de Beckwith-Wiedemann, síndrome de Treacher Collins, microssomia hemifacial, lábio leporino, fenda palatina, entre outras.

Sintomas

A mandíbula menor do que o normal pode causar problemas para o bebê mamar e respirar, principalmente quando associada à síndrome de Pierre Robin. A micrognatia pode levar à posição inadequada da língua, dificultando a sucção pelo bebê, de acordo com a revista Journal of the American Osteopathic Association. Nessas situações, uma sonda para alimentação pode ajudar a criança a receber alimentos.

O posicionamento anormal da língua também pode afetar a capacidade da criança de respirar normalmente. O Hospital Infantil da Filadélfia ressalta que essa condição pode causar alinhamento irregular dos dentes devido ao espaço limitado na boca.

Opções de tratamento

À medida que a criança se desenvolve, a micrognatia geralmente se corrige. No entanto, se isso não ocorrer, existem métodos cirúrgicos e não cirúrgicos para o tratamento da mandíbula. É importante conversar com o médico do seu filho para identificar qual método seria o mais adequado.

Os métodos não cirúrgicos não alteram a posição da mandíbula, mas podem proporcionar uma vida mais confortável. Como explica o Hospital Infantil da Filadélfia, uma opção de tratamento é mudar a posição em seu filho dorme, colocando-o de bruços, o que deixa as vias aéreas livres. Alguns pacientes também podem usar uma cânula nasofaríngea, um tubo colocado na passagem nasal para abrir as vias aéreas.

As opções de cirurgia devem ser amplamente discutidas com o médico. As recomendações serão diferentes com base na idade e estágio de desenvolvimento do seu filho, mas podem incluir um procedimento para prender a base da língua à mandíbula em uma área mais próxima do queixo ou um procedimento de traqueostomia para criar uma abertura das vias aéreas. Para alongar cirurgicamente a mandíbula, o médico pode sugerir um procedimento chamado distração osteogênica mandibular. Esse tratamento cirúrgico envolve a inserção de parafusos na mandíbula durante as primeiras semanas de vida. O dispositivo pode permanecer no local por 12 semanas até o novo osso se formar, de acordo com Hospital Infantil de Orange County.

Cuidados adicionais

A micrognatia não é necessariamente uma condição com risco de vida, mas o diagnóstico precoce é importante para seu tratamento. O médico e o dentista podem aconselhá-lo sobre como proporcionar a melhor qualidade de vida para a pessoa afetada. Ao cuidar de alguém com essa condição ou qualquer uma dessas síndromes, paciência e comprometimento são essenciais.

Procure uma equipe médica que entenda as necessidades da criança, incluindo um dentista que possa melhorar a condição do seu filho e orientá-lo sobre a rotina adequada de cuidados bucais. Consulte esses profissionais regularmente para avaliações regulares, para que a boca do seu filho se desenvolva adequadamente e permaneça o mais saudável possível.

Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

ARTIGOS RELACIONADOS 

Quais são as diferentes partes de um dente?

Cada dente possui diversas partes distintas; a seguir, consta uma VISÃO GERAL de cada parte:

  • Esmalte – É a parte externa e mais dura do dente, que possui o tecido mais mineralizado do corpo. Pode ser danificado pela cárie se os dentes não forem cuidados adequadamente.

  • Dentina – É a camada do dente dentro do esmalte. Se a cárie conseguir passar pelo esmalte, em seguida, ataca a dentina – onde milhões de canais conduzem diretamente a polpa dental.

  • Polpa – É o tecido macio encontrado no centro de todos os dentes, onde o tecido nerval e os vasos sanguíneos estão localizados. Se a cárie dentária atingir a polpa, isso geralmente causa dor e pode necessitar de um procedimento de canal na raiz.