Amígdalas e adenoides: qual a diferença?

jovem menina sofrendo com dor de garganta

Quando falamos sobre "sistema imunológico", provavelmente a primeira coisa que vem à mente de muitas pessoas é combater um resfriado desagradável. Você também já deve ter ouvido todos os conselhos típicos: beba muito líquido, durma bem e não se esqueça da vitamina C. Mas você realmente sabe como funciona seu sistema imunológico? Do ponto de vista dos cuidados bucais, as amígdalas e as adenoides desempenham um papel fundamental para nos manter saudáveis.

Amígdalas e adenoides: Localização e função

De acordo com a Academia Americana de Otorrinolaringologia, as amígdalas, que podem ser vistas como dois nódulos redondos (também chamados de gânglios linfáticos), estão localizadas no fundo da garganta. As adenoides são glândulas situadas na parte superior da garganta, atrás do nariz e do palato mole (céu da boca). Não são visíveis a olho nu pela boca nem pelo nariz. Amígdalas e adenoides são como os gânglios linfáticos localizados no pescoço, axilas e virilhas.

As bactérias entram no nosso organismo pela boca e pelo nariz e lá se deparam com as amígdalas e adenoides, a primeira linha de defesa do sistema imunológico. Como esses dois recursos combatem a infecção, eles podem ser infectados e ficar inchados.

Amigdalite

A Mayo Clinic define amigdalite como uma inflamação das amígdalas, geralmente causada por um vírus, mas que também pode ser de natureza bacteriana. Pode afetar crianças de idade pré-escolar a meados da adolescência. A amigdalite é rara em adultos, pois a função das amígdalas no sistema imunológico diminui após a puberdade. Os sintomas são diversos e incluem vermelhidão e inchaço, manchas brancas ou amarelas nas amígdalas, febre, dor de garganta, dificuldade para engolir e gânglios linfáticos inchados ou sensíveis no pescoço.

Amigdalectomia

Se você tiver dificuldade para respirar ao dormir por causa das amígdalas aumentadas ou se elas causam infecções crônicas na garganta, pode ser necessária uma amigdalectomia, explica a Cleveland Clinic. Realizado sob anestesia geral, esse procedimento geralmente leva apenas de 20 a 30 minutos. Durante a recuperação, a dor e a inflamação podem levar até duas semanas para diminuir.

Adenoides aumentadas

De acordo com a The Nemours Foundation, como as adenoides capturam germes que invadem o organismo, às vezes ficam inchadas enquanto combatem a infecção. O inchaço pode diminuir por conta própria, mas às vezes as próprias adenoides são infectadas. Se a infecção se tornar crônica, o médico pode recomendar uma solução cirúrgica.

As adenoides se destacam no combate a infecções em bebês e crianças pequenas. Conforme ficamos mais velhos, o organismo desenvolve outros métodos para combater os germes, reduzindo a importância das adenoides. As adenoides podem começar a diminuir quando a criança ultrapassa os 5 anos de idade e, quando atinge a adolescência, elas praticamente desaparecem.

Crianças com adenoides aumentadas devem ser examinadas por um médico. Os sintomas incluem dificuldade para respirar pelo nariz ou respiração bucal constante, roncos, infecções do ouvido médio e/ou líquido nos ouvidos em crianças em idade escolar, ou sinusite frequente. Embora nem sempre isso ocorra, as amígdalas e as adenoides podem aumentar ao mesmo tempo.

Adenoidectomia

A remoção das glândulas adenoides é chamada de adenoidectomia, explica a Cleveland Clinic. O médico pode recomendar uma adenoidectomia para o seu filho se as adenoides aumentadas estiverem causando problemas respiratórios devido a um bloqueio parcial das vias aéreas. Apneia do sono e infecções crônicas do ouvido podem resultar desses problemas respiratórios, incluindo aumento das amígdalas.

Um otorrinolaringologista pode executar o procedimento como uma cirurgia ambulatorial; mesmo assim, a criança terá que ficar sob anestesia geral. Dor de garganta temporária, mau hálito e dor de ouvido são efeitos colaterais dessa cirurgia.

Sempre que tiver dúvidas sobre a saúde bucal sua ou do seu filho, marque uma consulta com o dentista. Problemas que afetam as amígdalas e adenoides podem exigir uma consulta com o otorrinolaringologia.

Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

ARTIGOS RELACIONADOS 

Quais são as diferentes partes de um dente?

Cada dente possui diversas partes distintas; a seguir, consta uma VISÃO GERAL de cada parte:

  • Esmalte – É a parte externa e mais dura do dente, que possui o tecido mais mineralizado do corpo. Pode ser danificado pela cárie se os dentes não forem cuidados adequadamente.

  • Dentina – É a camada do dente dentro do esmalte. Se a cárie conseguir passar pelo esmalte, em seguida, ataca a dentina – onde milhões de canais conduzem diretamente a polpa dental.

  • Polpa – É o tecido macio encontrado no centro de todos os dentes, onde o tecido nerval e os vasos sanguíneos estão localizados. Se a cárie dentária atingir a polpa, isso geralmente causa dor e pode necessitar de um procedimento de canal na raiz.