Ligamento periodontal: o que é?

Casal montando bicicleta e sorrindo no parque

Muitas pessoas acham que os dentes são presos pelo osso e a gengiva. Na verdade, existe uma união de tecido conjuntivo mole entre o osso e os dentes chamada ligamento periodontal (LPD). O LPD é composto por vários tipos de colágeno e tem um componente neurovascular. É extremamente fino, mas muito complexo. Está inserido no osso ao redor do dente e também na camada externa da raiz, chamada cemento, esclarece a Faculdade de Odontologia da Universidade de Pittsburgh. Embora seja chamado de ligamento, não é como os ligamentos que circundam as articulações. Esse ligamento especial desempenha uma função muito importante na saúde bucal geral.

Qual a função do ligamento periodontal (LPD)?

O ligamento não dá suporte ao tecido gengival externo e só é encontrado entre a raiz do dente e o osso adjacente.  Esse tecido complexo permite que o dente funcione sob a carga da mastigação e absorva o excesso de pressão resultante do bruxismo. O ligamento também está envolvido na movimentação dentária e ajuda na erupção dos dentes. Desse modo, a movimentação dentária ortodôntica é possível por causa desse ligamento. Se o dente estivesse diretamente conectado ao osso, funcionaria como um implante e não poderia ser movimentado.  Como o dente é fixado no alvéolo pelo ligamento periodontal e não por uma interface direta entre o osso e ele, é possível extraí-lo, na maioria das vezes, sem remover significativamente pequenas áreas do osso alveolar.

O LPD ajuda na modelação e remodelação do osso que circunda o dente.  Se o dente está unido diretamente ao osso, essa alteração é chamada de anquilose dentoalveolar. O dente nessa situação não pode ser movimentado. Isso pode acontecer com a ruptura de uma área do LPD.

O ligamento também permite que o dente se adapte às forças do ranger de dentes (também conhecido como bruxismo) ou outros hábitos. O ligamento periodontal se alonga quando ocorre mobilidade dentária. Quando a força excessiva exercida em um dente diminui, o ligamento sofre reparação, o que faz com a mobilidade diminua.

Ligamento periodontal e saúde bucal geral

A periodontite pode causar destruição óssea e, consequentemente, perda do ligamento periodontal. Assim, nas áreas em houve perda do ligamento, o osso adjacente não está mais preso ao dente e não pode fornecer nenhum suporte. O LPD é suscetível à periodontite e não pode não se regenerar facilmente na área de perda. Mesmo com a colocação de um enxerto ósseo, se o ligamento periodontal não for restaurado, o enxerto pode não funcionar.

É importante manter os dentes e a gengiva saudáveis. Escove os dentes duas vezes ao dia, use fio dental e faça bochechos com um enxaguante bucal para proteger a gengiva e deixá-la mais forte.

Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

ARTIGOS RELACIONADOS 

Quais são as diferentes partes de um dente?

Cada dente possui diversas partes distintas; a seguir, consta uma VISÃO GERAL de cada parte:

  • Esmalte – É a parte externa e mais dura do dente, que possui o tecido mais mineralizado do corpo. Pode ser danificado pela cárie se os dentes não forem cuidados adequadamente.

  • Dentina – É a camada do dente dentro do esmalte. Se a cárie conseguir passar pelo esmalte, em seguida, ataca a dentina – onde milhões de canais conduzem diretamente a polpa dental.

  • Polpa – É o tecido macio encontrado no centro de todos os dentes, onde o tecido nerval e os vasos sanguíneos estão localizados. Se a cárie dentária atingir a polpa, isso geralmente causa dor e pode necessitar de um procedimento de canal na raiz.