Tudo sobre o nervo mandibular

Mulher com dor na mandíbula

Ao imaginar o sistema nervoso humano, você pode pensar em um grande número de nervos tão caótico quanto o emaranhado de fios que fica atrás da sua televisão. A complexa rede de nervos do corpo pode ser estonteante, mas há uma organização nesse caos. Um dos nervos da anatomia facial é o nervo mandibular. Saiba mais sobre sua função, possíveis problemas que podem afetá-lo e como o dentista pode administrar uma anestesia para bloqueio desse nervo.

Nervos da boca

O National Center for Biotechnology Information explica que o ramo mandibular faz parte de um nervo maior chamado nervo trigêmeo. O nervo trigêmeo consiste, ao todo, em três ramos nervosos, sendo o mandibular o maior deles. O ramo mandibular do nervo é responsável pela sensação na parte inferior do rosto, incluindo a sensação nos dentes, na maior parte da língua, nos músculos da mastigação e em alguns outros músculos faciais. Esse nervo permite que você fale, engula, mastigue e respire.

Problemas que afetam o nervo mandibular

Duas condições que podem afetar esse nervo facial são nevralgia do nervo trigêmeo e disfunção temporomandibular (DTM).

A nevralgia do nervo trigêmeo é uma condição de dor crônica que afeta as áreas conectadas aos ramos do nervo trigêmeo, de acordo com a Mayo Clinic. A dor penetrante intensa pode ser provocada por envelhecimento, trauma, tumor, acidente vascular cerebral ou uma condição que exerce pressão sobre a bainha protetora que reveste o nervo trigêmeo.

A DTM pode causar dor na articulação temporomandibular (ATM), que conecta a mandíbula ao crânio, explica a Mayo Clinic. Os médicos identificaram várias causas de desconforto na ATM, incluindo bruxismo, genética, artrite e lesões na mandíbula. A Academia Americana de Medicina da Dor observa que, como o nervo mandibular é responsável pelas sensações na região da ATM, o bloqueio nervoso pode ajudar a aliviar a dor associada à DTM.

Bloqueio do nervo mandibular para procedimentos odontológicos

Para evitar a dor durante procedimentos próximos à mandíbula, o dentista pode administrar um anestésico local. De acordo com uma revisão publicada na revista Anesthesia Essays and Researches, o tipo mais comum de anestésico local age para bloquear um ramo do nervo mandibular chamado nervo alveolar inferior. Primeiro, o dentista aplicará um anestésico tópico na área para diminuir o desconforto da injeção. Depois de injetar o anestésico, o dentista verificará se está agindo. Caso contrário, a injeção pode ser aplicada novamente, observa o Medscape. Essa técnica é especialmente comum durante a remoção do dente do siso, de acordo com um artigo publicado na revista Scientific Reports.

A revista South African Dental Journal relata que os anestésicos odontológicos não funcionam entre 15% a 30% do tempo, e a causa mais comum para isso é a falha do bloqueio do nervo alveolar inferior. Esse procedimento pode não funcionar se a anatomia da boca do paciente não permitir que o medicamento atinja o nervo. Nesses casos, o dentista pode precisar direcionar a injeção para um ponto diferente ou anestesiar uma área maior da boca.

Após um procedimento odontológico que exige bloqueio do nervo, você pode sentir uma leve dor nos músculos da mandíbula por alguns dias, de acordo com o Medscape. O dentista pode dar recomendações sobre como controlar a dor. Na grande maioria dos casos, o nervo não será danificado e, em breve, a mandíbula estará melhor novamente.

Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

ARTIGOS RELACIONADOS 

Quais são as diferentes partes de um dente?

Cada dente possui diversas partes distintas; a seguir, consta uma VISÃO GERAL de cada parte:

  • Esmalte – É a parte externa e mais dura do dente, que possui o tecido mais mineralizado do corpo. Pode ser danificado pela cárie se os dentes não forem cuidados adequadamente.

  • Dentina – É a camada do dente dentro do esmalte. Se a cárie conseguir passar pelo esmalte, em seguida, ataca a dentina – onde milhões de canais conduzem diretamente a polpa dental.

  • Polpa – É o tecido macio encontrado no centro de todos os dentes, onde o tecido nerval e os vasos sanguíneos estão localizados. Se a cárie dentária atingir a polpa, isso geralmente causa dor e pode necessitar de um procedimento de canal na raiz.