Com que frequência se deve fazer um exame odontológico com raios-x?

A frequência com que raios-x odontológicos, também conhecidos como radiografias, devem ser feitos depende das necessidades individuais de cada um.

Um exame odontológico com raios-x pode revelar danos nas estruturas bucais não visíveis durante um exame comum. Entre os problemas que podem ser detectados por um exame radiográfico estão pequenas áreas de cárie dentária entre os dentes ou sob restaurações, infecções no osso, doença periodontal, abscessos ou cistos, anomalias do desenvolvimento e alguns tipos de tumores. Encontrar e tratar esses problemas odontológicos num estágio inicial pode economizar tempo, dinheiro e desconforto desnecessário.

É importante reconhecer que, assim como cada paciente é diferente do outro, o mesmo acontece com o agendamento de exames com raios-x, que deve ser individualizado para cada paciente. Seu dentista revisará sua história, examinará sua boca e então decidirá se você necessita de radiografias e de que tipo.

Se você for um novo paciente, o dentista poderá recomendar radiografias para determinar a condição atual das partes ocultas da sua boca e ajudar a analisar alterações que possam ocorrer posteriormente. Se você fez radiografias recentemente no dentista anterior, o novo dentista poderá pedir que elas lhe sejam apresentadas.

O agendamento para fazer exames radiográficos em visitas de retorno varia de acordo com sua idade, risco de doença, sinais e sintomas. Radiografias recentes podem ser necessárias para detectar novas cavidades, determinar o estado da doença periodontal ou avaliar o crescimento e desenvolvimento.

Crianças podem necessitar de exames com raios-x com mais frequência do que adultos, pois seus dentes e maxila e mandíbula ainda estão se desenvolvendo e são mais propensas ao aparecimento de cárie dentária do que os adultos.

© Associação Dental Americana. Todos os direitos reservados. Probida qualquer reprodução ou redistribuição sem permissão prévia por escrito da Associação Dental Americana.