Alveolite após extração de dente: compreensão e prevenção

Há várias razões pelas quais o dentista pode recomendar que os dentes sejam puxados, um processo também conhecido como extração dos dentes. Embora a maioria das pessoas já esteja familiarizada com o testemunho de uma remoção dentária, o processo também trata ou corrige uma infecção, a doença periodontal ou a boca com dentes impactados.

Embora uma extração dentária seja um procedimento relativamente simples, os pacientes deverão estar atentos para certas questões durante o processo de cicatrização, incluindo a complicação mais comum: a alveolite. Vamos aprender o que esse quadro acarreta e como podemos prevenir a alveolite após uma extração dentária.

O que é alveolite?

Após a extração de um dos dentes permanentes, a boca formará um coágulo sanguíneo no local de onde o dente foi removido. Esse coágulo é vital pois ajuda a proteger as terminações ósseas e neurais na cavidade vazia do dente.

Os pacientes desenvolvem alveolite quando o coágulo de sangue se desloca, se dissolve ou não é formado completamente. Isso deixa os nervos e os ossos expostos e prontos para uma infecção. Esse quadro causa dor intensa na boca e na face e deverá ser tratado por um profissional dentista o mais rápido possível.

Por que as alveolites ocorrem?

Às vezes, um coágulo sanguíneo deslocado resulta de traumatismo ou força sobre o alvéolo vazio. Infelizmente, não é fácil apontar o que causa esse deslocamento ou a falha inicial em sua formação completa. Entretanto, há alguns fatores de risco que aumentam as chances de desenvolvimento de alveolite, ou seja:

  • Infecções
  • Contraceptivos bucais
  • Falha nos cuidados apropriados ao ferimento
  • Tabagismo

Como podemos prevenir a alveolite?

As alveolites ocorrem usualmente nos primeiros cinco dias após uma extração, de modo que o primeiro passo para prevenir esse quadro é evitar qualquer atividade rigorosa que possa causar um traumatismo ao ferimento. Essa atividade rigorosa poderá até incluir atividades simples como beber por um canudo ou cuspir vigorosamente, pois ambas têm o potencial de deslocar um coágulo sanguíneo.

Uma vez que o tabagismo e o uso de tabaco aumentam as chances de desenvolvimento de alveolite após uma extração dentária, deve-se evitar o uso dessas substâncias pelo menos 24 horas antes e 24 horas após o procedimento. Uma conversa com o dentista pode determinar se algum dos medicamentos regulares da pessoa pode inibir a coagulação sanguínea e o que pode ser feito para minimizar ou eliminar esse risco.

O dentista ou o cirurgião bucal provavelmente recomendará uma série de cuidados domésticos e dicas para serem obedecidos após a extração. Os conselhos podem incluir a ingestão de muita água, não escovar os dentes nas primeiras 24 horas após a cirurgia, evitar certos alimentos e usar enxaguantes antibacterianos. O dentista também poderá oferecer recomendações específicas dependendo da história de saúde bucal da pessoa, das condições de imunidade e dos medicamentos ingeridos.

O acompanhamento estrito dessa orientação já será um longo caminho para ajudar a pessoa a prevenir a alveolite para que ela possa usufruir de um processo de cicatrização sadio após a extração dentária.