Fumantes de cigarros são mais propensos a precisar de tratamento endodôntico

Após um estudo de 30 anos, foi constatado que pessoas que fumam cigarro têm uma probabilidade maior de necessitar de tratamento endodôntico (tratamento de canal) quando comparados a não fumantes.

"Nós constatamos que fumantes de cigarro são 70% mais propensos a necessitar de tratamento endodôntico do que os não fumantes”, disse Elizabeth Krall Kaye, Ph.D., coordenadora do estudo, epidemiologista e professora de política de saúde e serviços de pesquisa em saúde na Boston University´s School of Dental Medicine. “Não importa a sua idade, você pode precisar de um tratamento endodôntico e, como mostra nossa pesquisa, fumar aumenta esse risco”.

A American Dental Association e a American Medical Association anunciaram as novidades recentemente em uma conferência conjunta sobre a relação entre saúde bucal e geral.

Os mais recentes trabalhos da Dra. Kaye apresentaram resultados com base em dados coletados em estudos no Veterans Affairs Normative Aging and Dental Longitudinal no Sistema de Saúde VA de Boston. Com a ajuda de residentes em endodontia que reexaminaram radiografias dentais feitas num período de 30 anos, em um estudo de 18.893 dentes, a Dra. Kaye identificou 998 dentes que receberam tratamento endodôntico e relacionou os dados aos hábitos de fumar de cada paciente.

A pesquisa também mostrou os efeitos positivos de parar de fumar. “O total de tempo fumando e o tempo que eles permaneceram sem fumar foi diretamente relacionado ao seu risco”, disse. Uma vez que um número menor de pacientes no estudo fumava charutos e cachimbos, pesquisadores "não podem estar absolutamente certos” do aumento do risco para tratamento endodôntico para estes fumantes. Estimativas sugerem que a metade dos adultos norte-americanos realizou tratamento endodôntico até os 50 anos, segundo a Dra. Kaye.

São necessárias pesquisas complementares para explicar porque o risco aumenta para fumantes de cigarro.

O tratamento endodôntico é necessário quando a polpa dentária, ou o tecido mole do dente que contém nervos, vasos sanguíneos e tecido conjuntivo, fica inflamado. O clínico geral ou o endodontista, especialista em canal, remove o tecido pulpar infetado, limpa o espaço e preenche o dente para prevenir a recolonização das bactérias.

© Associação Dental Americana. Todos os direitos reservados. Probida qualquer reprodução ou redistribuição sem permissão prévia por escrito da Associação Dental Americana.