Efeitos colaterais da anestesia dentária e causas de tratamento

Procedimentos médicos às vezes são necessários para manter sua saúde, incluindo sua saúde bucal. A anestesia é necessária em vários procedimentos, seja uma cirurgia no joelho ou obturação de uma cavidade avançada, e, quando administrada corretamente, não é motivo para preocupações. Mas algumas pessoas sofrem com os efeitos colaterais das anestesias. Eis algumas informações a respeito da anestesia e o por quê alguns pacientes não respondem bem a ela.

Tipos de anestesia

Há dois tipos de anestesia: local e geral. A American Academy of Pediatric Dentistry (AAPD) (Academia Americana de Odontopediatria) define a anestesia local como "perda temporária de sensibilidade, incluindo dores em uma parte do corpo, produzida por um agente de aplicação tópica ou injetável, sem comprometer o nível de consciência". Na prática, seu dentista só anestesia uma parte de sua boca injetando um medicamento em sua gengiva ou bochecha; você poderá ficar acordado durante o processo. A anestesia geral, de acordo com a Aetna, o seda por um período prolongado de tempo e uma cânula possibilita a respiração enquanto você está adormecido.

Embora o termo possa confundir, a anestesia geral possui uma função bem mais específica para seu conforto durante o procedimento, e é administrada por um profissional qualificado, como um cirurgião buco-maxilo-facial ou um anestesista. A anestesia local (ou regional) é utilizada para tratamento mais simples, em que suas necessidades são mínimas o suficiente para que seu estado corporal possa permanecer o mesmo.

Procedimentos que necessitam de anestesia

Infelizmente, nem todas as idas ao dentista são tão fáceis como uma limpeza rotineira. Portanto, certifique-se antes de agendar sua próxima consulta. A extração de um dente é normalmente um dos procedimentos que mais necessitam anestesia. Quando um dente cariado precisa ser removido, o dentista anestesia a área de sua boca ao redor do dente. Dentes do siso são outra causa para a remoção anestesiada, normalmente devido à inclusão ou simplesmente por não haver espaço suficiente para nascer.

Embora os tratamentos de canal tenham se tornado muito mais fáceis ao longo dos anos, eles são outro exemplo da necessidade de anestesia. Quando a polpa de um dente se torna danificada ou enferma, a parte do dente que abriga a polpa precisa ser removida e selada, salvando então o dente de uma extração. No entanto, o uso de anestesia é mais comum na restauração de uma cavidade. Uma restauraçãoé necessária quando uma pequena seção de seu dente sucumbe à cárie, criando uma pequena área onde o dentista removerá a cárie e preencherá a cavidade.

Efeitos colaterais da anestesia dentária

São poucos os efeitos colaterais de uma anestesia local, mas eles surgem às vezes. A dormência sentida além da parte da boca anestesiada é muito comum. Após uma injeção local em suas gengivas, por exemplo, o medicamento pode fazer suas pálpebras e músculos da gengiva caírem. Após o efeito anestésico, essa dormência passa. Aqui são mais alguns:

  • Incapacidade de piscar – Caso você não consiga piscar um de seus olhos, seu dentista pode fechá-los até que a dormência passe, para que eles não ressequem.
  • Hematoma – Descrito como um inchaço com acúmulo de sangue, isso pode ocorrer caso a agulha atinja um vaso sanguíneo no momento da injeção.
  • Arritmia cardíaca – A droga vasoconstritora presente na anestesia pode elevar seu ritmo cardíaco durante um minuto ou dois. Certifique-se de mencionar isso ao seu dentista caso você perceba.
  • Danos aos nervos – Caso a agulha atinja diretamente um nervo, o resultado pode ser dormência e dor, que podem durar semanas ou meses. Danos aos nervos são muito raros em injeções locais, de acordo com a American Society of Regional Anesthesia and Pain Medicine (ASRA) (Associação Americana de Anestesia Regional).