DSTs da boca e como evitá-las

Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) são contraídas de diversas formas de relação sexual. O sexo oral, de acordo com o AVERT , eé comum em adultos sexualmente ativos de todas as idades e orientações. Isso pode resultar em uma doença que toma conta dos tecidos ao redor da área de contato e algumas infecções são mais propensas a afetar a boca do que outras.

As DSTs mais comuns da boca são a herpes, clamídia, gonorreia e sífilis. Tenha em mente que também é possível contrair doenças como a Hepatite A, B e C, assim como outras infecções gastrointestinais.

Meio de transmissão

O principal meio de transmissão de DSTs na boca se dá no contato com líquidos corporais. Na maioria dos casos, a presença de úlceras orais faz com que os fluídos da genitália de um parceiro infectado entrem no organismo, e, então, uma infecção localizada se desenvolve. Doenças podem também ser transmitidas da boca de uma pessoa infectada à genitália do seu/sua parceiro(a).

Sintomas a se atentar

Os sintomas dependem do tipo de DST contraída. A gonorreia oral, conforme descrita no MedicineNet, também é chamada de gonorreia faríngea porque normalmente afeta a faringe.

Os sintomas que poderiam indicar uma DST oral incluem:

  • Aftas na boca, que não necessariamente doem.
  • Lesões similares a (feridas e herpes labial) ao redor da boca.
  • Garganta avermelhada e dolorida, com dificuldades para engolir.
  • Amigdalite.
  • Vermelhidão com manchas brancas que se assemelham a infecções na garganta.
  • Corrimento esbranquiçado ou amarelo.

Normalmente, uma DST oral não manifesta nenhum sintoma perceptível, de acordo com o Brown University's Student Health Services. Portanto, é importante ter consciência tanto da sua saúde bucal quanto a de seu parceiro, e da melhor maneira possível.

Tratamento para DSTs orais

Sua forma de tratamento será diferente dependendo do tipo de DST que você possui e de sua gravidade. A herpes oral mediana, por exemplo, pode ser tratada por meio da prescrição de um anestésico tópico para reduzir as dores das feridas e lesões orais ao mesmo tempo em que o sistema imunológico trabalha para restaurar sua saúde bucal. Em casos mais graves, no entanto, medicamentos antivirais podem auxiliar a acelerar o processo.

A gonorreia oral é normalmente tratada com uma variedade de antibióticos chamados cefalosporinas; no entanto, o surgimento de cepas resistentes a medicamentos está gerando preocupações entre médicos. Portanto, é importante que pacientes sigam as instruções de tratamento com atenção. A sífilis é mais comumente tratada com penicilina ou com uma alternativa sintética como a tetraciclina, sugere a Healthline , enquanto a clamídia oral é tratada com antibióticos como azitromicina ou a doxiciclina, de acordo com o CDC.

Prognóstico

Caso você tenha tido qualquer uma dessas DSTs na boca no passado e passou por tratamento para curá-las, é possível contrair a mesma doença ou uma diferente novamente caso tenha contato sexual com um parceiro infectado. A herpes oral pode permanecer adormecida por algum tempo e então tornar-se ativa mais uma vez, de modo discreto, especialmente em pacientes que tiveram seus sistemas imunológicos enfraquecidos.

Prevenção

A única forma de se prevenir do contágio de uma DST oral é praticando sexo seguro, incluindo sexo oral. Você também deve manter alto padrão de higiene bucal, o que reduz seu risco de desenvolver qualquer tipo de ferida ou infecção na boca.