Assistência odontológica para crianças com necessidades especiais

Equilibrar as exigências de uma criança com necessidades especiais pode ser muito desafiador para os pais. As exigências médicas estão sempre em foco e a assistência odontológica está sempre em segundo plano. O problema é que essas crianças estão duas vezes mais propensas a problemas dentários se comparadas a crianças normais. Se você é pai ou mãe de uma criança com necessidades especiais, é importante que você preste especial atenção à saúde bucal do seu filho. Abaixo estão algumas dicas.

Condições comuns das necessidades especiais

A Academy of Pediatric Dentistry (Academia de Odontopediatria dos Estados Unidos) define crianças com necessidades especiais como aquelas que possuem problemas físicos crônicos, de desenvolvimento, comportamental ou emocional. Elas normalmente têm limitações nas atividades diárias e requerem assistências médica e odontológica abrangentes. Fissura de lábio ou palato, síndrome de Down, distúrbios neurológicos, paralisia cerebral e deficiência de visão e audição são condições médicas comuns que exigem assistência odontológica especial, assim como as deficiências de aprendizagem e desenvolvimento.

Problemas bucais

A síndrome de Down e outros distúrbios genéticos podem provocar atrasos na erupção dentária em até dois anos. Essas crianças também podem ter dentes malformados, erupção de dentes extras ou a falta de dentes. A aglomeração e o mau alinhamento em geral podem deixar as crianças propensas a doenças gengivais e cárie dentária pelo fato de ser mais difícil manter esses dentes limpos. Nos casos de deficiência mental grave ou paralisia cerebral, as crianças podem habitualmente ranger os dentes tornando-os achatados e gradualmente destruir o esmalte.

A cárie dentária e as doenças periodontais também podem ser decorrentes do comprometimento do sistema imune da criança e distúrbios do tecido conjuntivo. Muitos dos medicamentos contêm açúcar ou deixam a boca seca, o que é especialmente propício ao aparecimento de cárie. Alguns medicamentos podem também provocar um supercrescimento do tecido gengival, chamado de hiperplasia gengival,portanto, pergunte ao médico sobre os efeitos secundários.

Cuidados domiciliares e nutricionais

Inicie a rotina dos cuidados domiciliares de seu bebê assim que você chegar em casa, limpando a gengiva com uma gaze molhada. Assim que os dentes nascerem, escove-os pelo menos duas vezes por dia com uma escova macia e use o fio dental diariamente. Servir refeições nutritivas e restringir alimentos açucarados ou ricos em amido pode ajudar no desenvolvimento adequado da dentição infantil e limitar a exposição à cárie. Mantenha lanches saudáveis em casa e guarde os docinhos entre as refeições. Escove os dentes do seu filho após a ingestão de alimentos ou faça-o beber ou enxaguar a boca com água para neutralizar os ácidos provenientes dos alimentos açucarados.

Encontrar um dentista

Os dentistas recomendam que as crianças façam sua primeira consulta antes de completar um ano, e isto é muito importante para crianças com necessidades especiais. Muitos dentistas, inclusive os odontopediatras, estão preparados para tratar de crianças com deficiências físicas e comportamentais. Durante essas primeiras consultas, o dentista pode avaliar o desenvolvimento dentário do seu filho e ajudá-lo a criar rotinas de cuidados domiciliares mais adequadas para a sua família.

Há uma ampla oportunidade para crianças com necessidades especiais de obter bons cuidados com a saúde dentária. Trabalhando junto com o dentista do seu filho para colocar um plano de prevenção em prática, muitos problemas dentários em potencial podem ser evitados.