Consumo de álcool pela mãe durante a gravidez pode elevar o risco de fissuras bucais no bebê

Mulheres grávidas que consomem bebidas alcoólicas no início da gravidez aumentam a probabilidade de seus bebês nascerem com fissuras bucais, segundo pesquisadores do National Institute of Environmental Health Sciences.

Tipos comuns de fissuras bucais são as de lábio e as de palato. A labial é uma condição que cria uma abertura no lábio superior entre a boca e o nariz, gerando um aspecto de fenda no lábio. A palatal ocorre quando o céu da boca não se une completamente e pode variar de uma abertura na parte posterior do palato mole a uma separação quase total do céu da boca.

Pesquisadores realizaram um estudo baseado na população da Noruega, país que tem uma das mais altas taxas deste problema bucal na Europa. Contaram as famílias de todos os bebês com fissuras nascidos durante o período de 1996 a 2001. Incluíram 573 mães no estudo, que tiveram bebês nascidos com fissura labial com ou sem fissura palatal (377) ou apenas palatal (196), e também 763 mães que eles selecionaram de maneira randomizada dentre todas as da Noruega.

As mães responderam a um questionário enviado por correio fortemente centralizado no estilo de vida da mãe e exposições ambientais durante os três primeiros meses de gravidez, período em que ocorre o desenvolvimento facial do bebê.

Os pesquisadores constataram que bebês cujas mães relataram terem ingerido uma média de cinco ou mais doses de bebida alcoólica durante o primeiro trimestre, apresentavam risco aumentado de desenvolver fissuras bucais em comparação aos bebês cujas mães não bebiam. O risco era maior entre bebês de mães que bebiam essa quantidade com maior freqüência.

“Quanto maior a concentração sanguínea de álcool, maior o tempo em que o feto fica exposto”, diz Lisa A. De Roo, PhD, autora principal do estudo. “Uma única dose durante um período crítico do desenvolvimento do bebê pode ser prejudicial”.

© Associação Dental Americana. Todos os direitos reservados. Probida qualquer reprodução ou redistribuição sem permissão prévia por escrito da Associação Dental Americana.