Molécula proteica pode ser a chave para os tratamentos contra o câncer bucal

Uma molécula proteica conhecida como uma citocina que estimula o processo inflamatório em doenças como artrite, aterosclerose e osteoporose pode ser a chave no desenvolvimento dos tratamentos contra o câncer bucal, segundo pesquisadores taiwaneses.

Conforme relatado online no periódico Molecular Cancer Research no mês de agosto, cientistas da Universidade Nacional de Cheng Kung exploraram a função de uma citocina chamada Interleucina-20 (ou IL-20) na progressão tumoral do câncer bucal. Avaliaram os níveis de IL-20 em amostras de tecido tumoral e não tumoral de 40 pacientes em quatro diferentes estágios de câncer bucal. Os resultados clínicos indicaram que a citocina mostrou concentrações bem mais altas no tecido tumoral do que no não tumoral.

Os cientistas investigaram mais a fundo para determinar de que maneira a IL-20 agia nas linhagens celulares de dois cânceres bucais e descobriram que elas promoviam inflamação associada ao tumor e crescimento e migração tumoral.

Avaliaram, então, a capacidade de um anticorpo conhecido como 7-E para contrapor o efeito promotor de câncer da IL-20. Descobriram que a 7E reduzia a inflamação e o crescimento tumoral nas células cancerígenas, fazendo-os prever que a 7E pode levar a futuras terapias contra o câncer bucal.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, cerca de 30.000 casos de câncer de boca e faringe são diagnosticados a cada ano nos Estados Unidos.

© Associação Dental Americana. Todos os direitos reservados. Probida qualquer reprodução ou redistribuição sem permissão prévia por escrito da Associação Dental Americana.