Bactérias do câncer bucal ganham exame mais minucioso

Rapidez é fundamental na luta contra o câncer bucal.

Apenas a metade de todos os pacientes diagnosticados com a doença sobrevive mais de cinco anos. Entretanto, está mais fácil do que nunca detectar o câncer bucal precocemente, quando a oportunidade de cura é grande.

Pesquisadores da Universidade de Nova York estão se unindo ao Instituto Nacional de Pesquisa Dental e Craniofacial (EUA) – parte do Instituo Nacional de Saúde (EUA) – para identificar bactérias da cavidade bucal que possam estar associadas com o câncer bucal.

Conduzido em colaboração com a Faculdade de Medicina da NYU e o Centro Memorial Sloan Kettering de Câncer, o estudo comparará os perfis bacterianos de tecido bucal saudável, pré-maligno e maligno, coletado de 35 pacientes na Faculdade de Odontologia da NYU e Sloan Kettering.

O investigador principal Deepak Saxena, Ph.D., professor assistente de ciências básicas e biologia craniofacial, usará o sequenciamento genético para identificar as bactérias presentes em cada amostra e avaliar quais delas povoam um processo inflamatório sabidamente associado com o desenvolvimento do câncer bucal.

"Nossa meta final é desenvolver um protocolo de avaliação de risco para o câncer bucal baseado no perfil bacteriano de lesões pré-malignas e tumores malignos", afirma o Dr. Saxena.

Tal avaliação de risco poderia salvar vidas no futuro. Por hora, a melhor maneira para você prevenir o câncer bucal é reconhecer os fatores de risco e visitar um dentista regularmente.

A pesquisa do câncer bucal faz parte da rotina de um exame odontológico. Check-ups regulares, incluindo um exame da boca inteira, são essenciais na detecção precoce das condições cancerosas e pré-cancerosas.

Segundo a Associação Dental Americana, o câncer bucal ocorre com mais frequência em pessoas que usam tabaco em qualquer das suas formas; mas o álcool combinado com o tabagismo aumenta muito o risco. Eles também podem ocorrer em pessoas que não fumam e não têm outros fatores de risco conhecidos.

O câncer bucal geralmente começa com uma mancha pequena, quase imperceptível, branca ou vermelha, ou com uma ferida em qualquer local da boca. A mancha pode afetar qualquer área da cavidade bucal incluindo lábios, tecido gengival, mucosa da bochecha, língua e palato duro ou mole, ou levar a uma alteração na maneira como os dentes se encaixam.

Outros sinais incluem uma ferida que sangra facilmente ou não cicatriza; uma alteração de cor dos tecidos bucais; uma bolinha, espessamento, mancha áspera, crosta ou erosão de uma pequena área; dor, sensibilidade ou dormência em qualquer local da boca ou lábios; ou dificuldade de mastigar, engolir, falar ou movimentar a mandíbula ou língua.

O dentista geralmente perceberá uma mancha ou ferida que parece inofensiva e não possui uma causa clara. Um teste simples, como aquele que usa uma escova para coletar células de uma lesão suspeita na boca, pode ser usado para descartar a possibilidade de câncer.

© Associação Dental Americana. Todos os direitos reservados. Probida qualquer reprodução ou redistribuição sem permissão prévia por escrito da Associação Dental Americana.