Taxas de câncer na orofaringe podem estar associadas a vírus

Embora a incidência geral de câncer de cabeça e pescoço tenha diminuído nos Estados Unidos, a taxa global de câncer orofaríngeo (a parte da garganta logo após a boca) está estagnada e parece estar crescendo em homens com menos de 45 anos, de acordo com uma revisão em recente edição da revista da American Cancer Society.

Erich M. Sturgis, MD, MPH, e Paul Cinciripini, PhD,do Centro de Câncer M.D. Anderson, da Universidade do Texas, Houston, concluíram que os índices estagnados de câncer orofaríngeo, em particular câncer das amídalas e da base da língua, frente à diminuição do uso de tabaco – a causa principal de câncer de cabeça e pescoço – provavelmente são explicados pelo aumento na prevalência da exposição da orofaringe a um vírus causador do tumor.

Os autores dizem que a literatura aponta para a exposição ao papiloma vírus humano (HPV), como a mais forte associação com o câncer de orofaringe.

Cânceres da cabeça e pescoço, que incluem câncer de laringe, cavidade nasal/ nariz, cavidade bucal, faringe e glândulas salivares, contabilizam 3% de todos os casos de câncer recentemente diagnosticados nos Estados Unidos. Os homens têm três vezes mais predisposição do que as mulheres de terem diagnóstico desse tipo de câncer.

Dos aproximadamente 45 mil novos casos de câncer de cabeça e pescoço esperados este ano, cerca de 10 mil são câncer de faringe (principalmente orofaringe). Embora o prognóstico para esse tipo de câncer seja excelente quando diagnosticado precocemente, mais da metade deles são identificados em fase avançada quando o prognóstico é bem pior, tornando a prevenção crítica no que diz respeito a salvar vidas.

Os autores sugerem que uma vacina recentemente aprovada pode ter um impacto significativo sobre a incidência de tumores na orofaringe.

Eles “estimulam o rápido estudo da eficácia e segurança dessas vacinas em homens e, se bem sucedido, as recomendações da vacinação de jovens adultos e adolescentes do sexo masculino”.

© Associação Dental Americana. Todos os direitos reservados. Probida qualquer reprodução ou redistribuição sem permissão prévia por escrito da Associação Dental Americana.