Antibióticoterapia e procedimentos odontológicos

Desde que a American Heart Association (AHA) anunciou, em abril passado, que não mais recomenda o uso de antibióticos na prevenção de endocardite infecciosa em determinados pacientes odontológicos, uma questão que sempre vem à tona é se pacientes que foram submetidos a próteses articulares ainda necessitam usar antibióticos antes de procedimentos odontológicos.

A resposta é sim.

A American Dental Association (ADA) e a American Academy of Orthopaedic Surgeons ainda recomenda que todos os pacientes usem antibióticos durante os dois primeiros anos após a colocação de próteses articulares antes de determinados procedimentos odontológicos, e mais dois anos para pacientes com imunidade comprometida e pacientes com determinadas doenças relacionadas.

A AHA e a ADA recomendam o uso de antibióticos antes de procedimentos odontológicos para pacientes com válvulas cardíacas artificiais, história anterior de endocardite, determinadas doenças cardíacas congênitas e pacientes com transplante de coração que desenvolvem problemas com uma válvula cardíaca.

As recomendações não mais indicam o uso de antibióticos para as seguintes doenças: prolapso da válvula mitral, doença cardiaca reumática, doença valvar bicúspide, estenose aórtica calcificada, ou doenças cardíacas congênitas como comunicação interventricular, comunicação interatrial e cardiomiopatia hipertófica.

As orientações atuais valem para vários procedimentos odontológicos, incluindo profilaxia dentária e extrações.

As recomendações enfatizam que a manutenção de uma perfeita saúde bucal e a prática diária da higiene bucal são mais importantes na redução do risco de desenvolver endocardite infecciosa do que o uso preventivo de antibióticos antes de tratamentos dentários.

As novas recomendações são baseadas em “uma abrangente revisão de estudos publicados que indicam que a endocardite infecciosa tem maior predisposição de ocorrer por meio de uma bactéria que penetra na corrente sanguínea como resultado das atividades diárias do que de um procedimento odontológico”, segundo uma publicação da AHA.

Para maiores informações sobre recomendações de profilaxia com antibióticos, acesse o site da ADA www.ada.org (em inglês).

© Associação Dental Americana. Todos os direitos reservados. Probida qualquer reprodução ou redistribuição sem permissão prévia por escrito da Associação Dental Americana.